skip to Main Content
Como o compartilhamento de carros transforma o estacionamento e o desenvolvimento imobiliário 
Como O Compartilhamento De Carros Transforma O Estacionamento E O Desenvolvimento Imobiliário 

Como o compartilhamento de carros transforma o estacionamento e o desenvolvimento imobiliário 

O compartilhamento de carros tem sido um tema recorrente quando se trata do trânsito nas grandes cidades e dos problemas relacionados ao estacionamentos. Toda essa novidade, que está aos poucos ganhando mais adeptos, tem feito muitos locais adorarem novas políticas e práticas para melhorar o acesso às plataformas. Além dos benefícios diretos gerados para os usuários, o carsharing também pode ser a solução para o problema de vagas nas ruas (ou a falta delas). O grande reflexo disso observa-se não só no que diz respeito às políticas públicas, mas também em relação aos construtores privados de grandes empreendimentos imobiliários, que vêm descobrindo essa nova opção de mobilidade para otimizar a construção e recursos em aproximadamente US$ 40.000.

Um exemplo dessa mudança pode ser visto nas regiões onde o aplicativo car2go opera nos Estados Unidos. O app tem em seu sistema de preços o  estacionamento gratuito para o usuário, mas não necessariamente para a empresa, que pode pagar uma taxa fixa por carro ou usar locais designados especificamente para frotas de compartilhamento. Essa solução é uma das grandes vantagens desse tipo de tecnologia, já que algumas mensalidades de estacionamentos podem ultrapassar US$ 300, principalmente em zonas comerciais e de grande movimento durante o dia todo. 

A capital do estado do Texas, Austin, conseguiu eliminar cerca de 1100 vagas nas ruas apenas atribuindo um número mínimo de 20 espaços para cada veículo de carsharing. Essa mudança trouxe vantagens para usuários, cidade e construtores, com uma economia de US$ 38,5 milhões com o aproveitamento das áreas que anteriormente seriam usadas apenas abrigar os veículos.  

Hotels with car sharing parking lots

Apesar das vantagens, esse tipo de projeto nem sempre é recebido com aplausos pelos cidadãos, pois alguns moradores sentem-se enganados quando os locais são designados especialmente para o compartilhamento de carros. No ano passado, a cidade de Nova York anunciou que teria 285 vagas exclusivas para a Zipcar e a Enterprise Carshare por dois anos. Cada empresa pagou uma pequena taxa mensal e de licenciamento. Este ano, São Francisco aprovou um programa semelhante, com 1000 lugares para empresas do setor. Embora esses programas tenha sido mal recebido inicialmente, eles provaram ser bem-sucedidos a longo prazo. 

Essa disponibilidade de vagas de estacionamento específicas para o compartilhamento de carros é muito benéfica para o setor imobiliário. No caso de prédios comerciais o fornecimento desses serviço incentiva os funcionários a deixar em casa seu veículo próprio, além de ajudar na economia com altas mensalidades. Combinado com alguns dos incentivos fiscais, como no estado de Washington, onde são oferecidos créditos aos usuários, é possível reduzir ainda mais o número de carros nas ruas. Essas mudanças têm ajudado os construtores a aumentar suas receitas para o empreendimento ao disponibilizar um serviço exclusivo para quem vive ou trabalha nesses espaços. 

Outro setor que tem conseguido bons resultados é o de turismo. Muitos hotéis também passaram a investir em vagas para carros compartilhados, possibilitando uma utilização melhor da área da construção da unidade, com mais quartos ou áreas comuns, por exemplo. Vale destacar também que companhias aéreas têm utilizado essa solução para fidelizar seus clientes. 

Com a evolução do setor, as grandes fabricantes também passaram a dar mais atenção ao tema. O Audi at Home é um produto exclusivo para habitantes de um condomínio de Nova York, com cerca de 10 carros e taxas que vão de US$ 12 a US$ 22 por hora. Essa é apenas uma entre tantas outras iniciativas já citadas que fazem desse mercado um dos que mais cresce em todo o mundo.

Share this article
Back To Top